×
Voltar para o Blog

Marketing de Influência não é só audiência, é conteúdo também.

80 20 Marketing - 28/04/2022
Marketing de Influência

Marketing de Influência: likes ou conteúdo? Que tal unir os dois? O objetivo de “influenciar” à venda ou tomada de decisão sempre existiu, principalmente quando se trata do mercado da publicidade; a grande diferença reside em quem influenciava e os resultados que obtinha. Se antigamente uma celebridade inatingível vendia dezenas de artigos, hoje um criador de conteúdo digital pode vender até 10 vezes mais. É tudo questão de engajamento e posicionamento!

Vamos descobrir então o que é Marketing de Influência, como promover uma estratégia eficaz e as novidades deste setor! Para isso, convidamos Thayara Barboza (Analista de Planejamento e Marketing de Influência da agência 80 20) para emitir algumas opiniões sobre o tema.

 

O que é o Marketing de Influência e qual é a sua importância?

O Marketing de Influência é uma técnica  utilizada em campanhas voltadas para o público presente no mercado digital (principalmente nas redes sociais). É uma estratégia que envolve transmitir, através de uma pessoa que possua autoridade e seja detentora de confiança, informações que influenciam na jornada de compra (aprendizado, reconhecimento, consideração e decisão) de um número relevante de pessoas de modo a favorecer a sua marca.

Para Thayara Barboza o Marketing de Influência, vai além, rompendo muitas barreiras da comunicação antes existentes: ‘‘Em 13 anos de formação, passando pelo jornalismo e muitas outras vertentes da comunicação, gosto de pensar que o Marketing de Influência também é a evolução de muito do que fazíamos há mais de uma década: influenciar pessoas! Antes, isso era feito quase que exclusivamente nas ruas dos bairros, nas panfletagens em locais específicos, em campanhas de massa, planejadas em horários estratégicos nos veículos de comunicação. Agora, o marketing de influência nos permite falar com as pessoas, onde quer que elas estejam, contratando pessoas que se fazem ouvir, no ambiente digital! É levar a comunicação para a palma da mão dos usuários que estão conectados continuamente e, mais do que isso, é contar com pessoas normais, falando para outras pessoas.’’

E quais os benefícios para uma empresa ao realizar esse tipo de estratégia? Entre as vantagens temos: o aumento de retorno sobre investimento (ROI), aumento da audiência com público e seguidores,  aumento do número de vendas, aumento da base de leads e a notoriedade da marca como um todo. Basicamente, é um investimento em uma parceria para promover o seu negócio.

 Desta forma, fica claro que não é sobre (só) quantos seguidores o influenciador tem, afinal de nada adianta ter milhões de seguidores, se a sua taxa de engajamento não alcança as expectativas da marca contratante, as quais geralmente está relacionada às vendas e audiência. Ou seja, o que importa é você atender as métricas da marca, respeitando o seu público.

 

Como desenvolver um Marketing de Influência eficaz?

Do ponto de vista do criador, como é possível aumentar as suas taxas de engajamento e vendas? Através justamente de uma criação de conteúdo que se conecte com seu público! Uma pesquisa realizada em 2020 pela Zine.Co, aponta que 49,6% dos influenciadores afirmam que seus seguidores se preocupam mais com conteúdo autêntico, e além disso, 42,1% dos influenciadores afirmam ainda que seus seguidores gostam de uma variedade de conteúdo de diferentes marcas. Ou seja, é necessário ser honesto e saber construir seu conteúdo, pois o público não é ingênuo e não quer só ver propaganda desenfreadamente. 

Thayara Barboza aponta ainda o papel do criador como aquele que deve partilhar suas experiências vivenciadas: ‘‘O que se vende em uma ação de marketing de influência é a experiência dele (criador de conteúdo) com a marca ou produto e não o serviço ou produto em si, e isso só é possível se o influenciador escolhido tiver know-how para apresentar, defender e influenciar o público-alvo da campanha. Aqui, o que vale é a coerência, com base na análise aprofundada de cada perfil, com elementos como linguagem, objetivos, visão e valores do cliente e da campanha! ”

Marketing de Influência - Fonte Unsplash
Marketing de Influência_fonte_unsplash.

Já do ponto de vista da empresa, torna-se importante o cuidado durante a escolha de influenciadores digitais para uma campanha, pois de nada adianta, por exemplo, um criador com lifestyle vegano fazer uma publicidade sobre hambúrguer 100% carne bovina. Que tipo de credibilidade e engajamento o mesmo atingirá? Precisamos, então, balancear a audiência com o estilo de conteúdo dos criadores de conteúdo. E isso pode ser feito através de 3 etapas fundamentais:

  • Definir o briefing da campanha;
  • Filtrar os influenciadores escolhidos pela marca a partir da audiência, mas também do engajamento e relevância que os mesmos possuem no setor que pretende atingir;
  • Mensurar os resultados da ação realizada com o criador de conteúdo (quais as métricas deseja analisar? Aumento na Taxa de Vendas, Taxa de Engajamento, Taxa de seguidores?);

Thayara Barboza confirma o passo a passo: ‘‘Dentre as muitas vantagens que uma campanha de Marketing de Influência nos permite, está a segmentação por nicho ou até mesmo por geolocalização, mas isso só é uma ferramenta positiva se entendermos o objetivo do cliente e a proposta da ação, por isso, toda e qualquer estratégia neste sentido precisa começar com um bom briefing, que corresponda aos objetivos do cliente. Assim, é possível passar por fases como: mapeamento, análise de perfis, construção de missões, relacionamento com os influenciadores e por fim, acompanhamento da execução de cada estratégia.’’

 

Novidades sobre o Marketing de Influência

A influência está mudando e é necessário expandir os horizontes. Uma das principais mudanças reside nos microinfluenciadores. Estes abrangem os criadores que possuem entre 10 mil e 100 mil seguidores em suas redes sociais, mas que geralmente possuem alta taxa de engajamento de seu público. Segundo uma pesquisa realizada pela ExpertVoice, as recomendações de um microinfluenciador tendem a ser seguidas por 82% dos consumidores e eles também chegam a alcançar 22,2 vezes mais conversões ao recomendarem produtos, confirmando a importância das marcas trabalharem com esses influenciadores.

Outro ponto a se ter atenção é o conflito crescente entre a influência real e sincera exigida pela maioria dos usuários das redes sociais, e a ascensão do Metaverso. Segundo Amy Webb (futurista norte americana ) em uma palestra no SXSW (um dos maiores eventos de inovação e tecnologia do mundo), é preciso definir muito bem o que é real; os avatares são capazes de representar humanos digitais muito mais realistas e haverá diferentes versões de nós mesmos; uma prova disso seria a Angie – avatar criado por Jesse Zhang que mostra suas imperfeições e influencia o público positivamente.   

Gostou do conteúdo? Se quiser ficar por dentro de novidades sobre esta temática e outras, continue nos acompanhando por aqui!